Google+ Followers

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Augustus Nicodemus Lopes, CPAD e o "mimi" de certos calvinistas

É impressionante como fazem barulho esses críticos da Assembleia de Deus, que por sinal, é a maior Igreja Evangélica Pentecostal do Brasil.
Explico, O Reverendo Augustus Nicodemus Lopes iria, (eu disse iria), falar sobre o tema  "renovação apostólica" na loja da CPAD MegaStore, no Rio de Janeiro (RJ), claro que isso deixou alguns homens sérios da CPAD e da CGADB descontentes, até porque acompanham as palestras, os vídeos e as sátiras do reverendo cessacionista na net.

Porque "mimi"? Afinal, isso estava decretado ou não estava?
Ora bolas, chega de chamar os assembleianos de bairristas, certo blogueiro escreveu: "Acontece que a CPAD cedeu a pressão de meia duzia de gatos pingados, enciumados e raivosos, que não conseguem colocar de lado seu espírito faccioso nem por um momento. "Sectários até o tutano, essa meia dúzia de pseudo-intelectuais..." (Gostaria de ver as credenciais acadêmicas desse escritor/blogueiro 'intelectual').

Espírito faccioso? de quem? De quem chama pastores e teólogos preocupados com a doutrina pentecostal ortodoxa nas assembleias de Deus de "gatos pingados", "sectários"? 
Outro blogueiro ainda diz: "O que tem feito mal às Assembleias de Deus é a politicagem que há anos vem nela imperando da forma mais rasteira possível, principalmente entre a cúpula."  Interessante que depois de comer no prato certas pessoas não contentes em apenas cuspir, parece que tem o prazer em defecar também, infelizmente. Se existem problemas, coronelismo, luta pelo poder na cúpula das  Assembleias de Deus, se algumas dessas coisas ferem a Lei, que sejam resolvidas pela lei (como o foi recentemente em Acordo de Paz), mas se isso é questão interna, apenas os que fazem parte dela é que devem se preocupar, ou não? Quanto a Doutrina, sim, as Assembleias de Deus tem homens preparados teologicamente para defenderem a Doutrina Assembleiana daqueles que querem satirizar e infiltrar  em seu meio.

Faço minhas as palavras do site http://www.pointrhema.com.br/2016/07/cpad-editora-cancela-evento-com.html, na sessão de comentários:

"Entendo que a palestra do Reverendo Augustus Nicodemus nada tinha a ver com o tema Calvinismo e Arminianismo, porém seu modo humorístico de satirizar o tema, coisas que em tempos de internet sai do intramuros denominacional e torna público o que se pensava estar privado, acirrou um discórdia, a qual provocou o cancelamento do evento em cima da hora, o que ficou no mínimo deselegante, mas por outro lado não deixou de ser uma resposta politicamente correta para o seu público alvo.

Qualquer que fosse a atitude da Editora CPAD, o cancelamento ou a manutenção do evento, produziria "barulho", afinal o problema aconteceu no nascedouro. Infelizmente a decisão foi tomada sem uma avaliação prévia das possíveis consequências."


Agora vamos combinar calvinistas? O que está "decretado'" não é para ser questionado né?
Apenas aceito, rsrs, pronto falei.
Bereiano

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Calvinismo no meio Assembleiano

Calvinismo no meio assembleiano

 "É ético lutar para que minha denominação se curve à minha crença pessoal? Devo confrontá-la por isso? Ou devo, se já não me sinto assembleiano e quero sair pregando e ensinando o calvinismo, ir para uma igreja renovada calvinista ou tradicional?
O que é mais ético?

Diga-me um só exemplo de uma pessoa que tentou fazer isso e conseguiu mudar toda a posição doutrinária de sua igreja, seja em caso de confronto por doutrina primária (realmente algo muito sério) ou secundária.

Lutero conseguiu com a Igreja Católica? Não. Os protestantes tiveram que sair da Igreja Católica.
Arminius conseguiu com a Igreja Reformada Holandesa? Não, os remonstrantes tiveram que sair dela.
Wesley com a Igreja Anglicana? Não, ele teve que sair dela.
Os calvinistas metodistas com a Igreja Metodista? Não, eles acabaram saindo do metodismo e suas igrejas se tornaram igrejas congregacionais.
Os pentecostais conseguiram com suas igrejas de origem tradicional?
Os renovados com suas igrejas tradicionais?
Sejamos realistas!

Portanto, que a Assembleia de Deus continue sendo a Assembleia de Deus, que a Metodista continue sendo a Metodista, que a Presbiteriana continue a ser a Presbiteriana, que a Batista continue sendo a Batista etc.

E o crente que, por convicção, não se sentir mais bem na Presbiteriana, por não concordar mais com sua visão doutrinária, que vá para outra denominação onde se sente bem. E o mesmo com o crente de qualquer outra igreja, inclusive a Assembleia de Deus. 
A outra opção é ou manter sua convicção pessoal divergente, mas sem confrontar sua denominação, o que é incoerente, mas aceitável; ou confrontar a denominação, o que é mais do que incoerente".

Não vamos aceitar uma promoção interna de divergências doutrinárias.


Adaptado do Pr Silas Daniel, parte de sua resposta a um comentário em:
http://www.teologiapentecostal.com/2015/01/assembleiano-e-calvinista-convicto-uma.html

Como bom Bereiano, assino em baixo.

igrejaassembleia.org

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Arrebatamento da Igreja - Uma doutrina séria

O ARREBATAMENTO DA IGREJA
1Ts 4.13-18
• Esse é um assunto de elevada importância.

• A Segunda Vinda de Cristo consiste em um só evento, contudo, o mesmo se manifestará em duas fases:

Primeiramente, ocorrerá o “ rapto da Igreja” ou “arrebatamento ”, que será transladação dos crentes, tantos vivos como falecidos, para estarem na presença de Cristo, nos ares (1Ts 4:13-18).
Depois disso (após decorrerem sete anos) dar-se-á a “Revelação de Cristo” ou “A vinda Gloriosa de Jesus no Céu” de forma visível sobre as nuvens do céu, quando Ele descerá à terra no Monte das Oliveiras, de onde ascendeu (At 1:11,12; Mt 24:27-30; Ap 19:11,16).

• Após o “rapto da Igreja ” haverá um período de tempo que durará provavelmente sete anos aqui na terra
• Os crentes arrebatados passarão pelo juízo da Igreja, no chamado “Tribunal de Cristo”, onde ela receberá os galardões do Senhor. 2Co 5:10; Rm 2:6; Rm 14:10,12; Ap 22:12.
• Também a Igreja estará presente as “bodas do Cordeiro”, no céu, na qualidade de NOIVA. Ap 19:6,7
• Nenhuma passagem bíblica declaram explicitamente que a Igreja passará pela Grande Tribulação. Israel, sim, está identificado com Tribulação, como também as nações e os ímpios em todo o mundo, mas a verdadeira Igreja não é mencionada em conexão com Tribulação. Mt 24:21,29; Ap 3:10.
• O apostolo João, tendo registrado sua visão de Cristo glorificado (Ap 1), e das sete Igrejas (Ap 2 e 3), que representam a história da Igreja Universal, desde o Pentecoste até o Rapto, a partir do capítulo quatro começou a revelar o que aconteceria “depois destas coisas” (Ap 4:1), isto é, depois do período da Igreja.

Crê-se assim pelas seguintes razões:

A partir de Apocalipse 4:1, não ocorre mais a palavra "igreja" ou " igrejas", até Ap 22:16.
A noiva de Cristo (a igreja) só aparece no capítulo 19, já com Cristo no céu, antes de Ele voltar à terra para julgar os ímpios e reinar no milênio.
A promessa dada à igreja de Filadélfia, de preservá-la da hora da tribulação em escala mundial, pertence a todos os crentes que permanecerem leais a Cristo antes da grande tribulação.

• I - Os crentes devem estar prontos.
• Vigiai (gr. gregoreo) é um imperativo presente e denota uma vigília constante no tempo atual. A razão para a vigília constante, hoje, e não apenas no futuro, é que os crentes dos dias atuais não sabem quando o Senhor virá buscá-los, Mt 24:42

• II - Cristo virá de modo inesperado.
• Jesus afirma claramente que sua vinda para levar os santos antes da tribulação será numa ocasião inesperada. Ele não somente declara que eles não sabem a hora (Mt 24:42), mas também que Ele voltará à hora em que não pensais (Mt 24:36,44).

• III - Cristo virá arrebatar os crentes.
• Os seguidores de Cristo devem guardar-se do pecado e orar para que seu amor a Cristo não arrefeça, e assim recebam graça e força para perseverar na fé e na retidão em Jesus Cristo, Lc 21:36

• IV - Os crentes serão livrados da ira futura.
• A grande esperança dos crentes tessalonicenses era a vinda de Cristo, que os livraria da “ira futura". A " ira futura" refere-se à ira e juízo divinos que serão derramados sobre o mundo durante o período da tribulação. Ap 3:10
• “E esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura”. 1Ts 1.10

• V - Os crentes que viverem nessa ocasião receberão corpos transformados.
• Embora os crentes possuam o Espírito e as suas bênçãos, eles também gemem no íntimo, ansiando por sua plena redenção, “a redenção do nosso corpo”Rm 8:23

• VI - Os crentes que morrerem antes desse evento ressuscitarão e serão arrebatados com Cristo.
• A “ ressurreição do corpo” é uma doutrina fundamental das Escrituras. Refere-se ao ato de Deus, de ressuscitar dentre os mortos o corpo do salvo e reuni-lo à sua alma e espírito, dos quais esse corpo esteve separado entre a morte e a ressurreição.
• O corpo é parte essencial da total personalidade do homem; o ser humano é incompleto sem o corpo. Por conseguinte, a redenção que Cristo oferece abrange a pessoa total, inclusive o corpo (Rm 8:18-25; 1Co 15:35,52)

• VII - Todos os santos arrebatados serão julgados por Cristo.
• Jesus faz várias declarações espantosas.
• Ele tem o poder de dar a vida e de ressuscitar os mortos.
• Ele tem o direito de julgar a todos.
• Ele tem o poder de dar a vida eterna . Rm 14:11,12

• VIII - Os crentes serão julgados segundo as suas obras.
• A prestação de contas do ser humano perante Deus, por todos os seus atos.
• A Bíblia ensina que os crentes terão, um dia, de prestar contas ante o “tribunal de Cristo”, de todos os seus atos praticados por meio do corpo, sejam bons ou maus. No tocante a esse julgamento do crente, segue-se o estudo de alguns de seus pontos, 2Co 5:10

• IX - Os crentes fiéis receberão galardões.
• A palavra bem-aventurados refere-se ao estado abençoado daqueles que, por seu relacionamento com Cristo e a sua Palavra, receberam de Deus o amor, o cuidado, a salvação e sua presença diária (Lc 24:50).
• Os princípios do reino de Deus nunca mudam: Todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições, Mt 5:11:12; 2Tm 3:12.

• X - Os crentes menos fiéis não serão condenados, mas receberão poucos galardões, ou nenhum.
• A posição do crente no reino dos céus dependerá da sua atitude aqui, para com a lei de Deus e da sua prática e ensino. A medida da nossa fidelidade a Deus, aqui, determinará a medida da nossa grandeza no céu. Mt 5:19

• XI - O Tribunal de Cristo .
• A Bíblia ensina que os crentes terão, um dia, de prestar contas “ante o tribunal de Cristo”. No tocante a esse julgamento do crente, segue-se o estudo de alguns de seus pontos.
• Todos os crentes serão julgados; não haverá exceção (Rm 14:10,12; 1Co 3:12-15; 2Co 5:10; Ec 12:14).
• Esse julgamento ocorrerá quando Cristo vier buscar a sua igreja (Jo 14:3; 1Ts 4:14-17).
• O juiz desse julgamento é Cristo (Jo 5:22, “todo o juízo”; 2Tm 4:8, “Juiz”).
• A Bíblia fala do julgamento como algo “sério e solene”, porque inclui para este a possibilidade de dano ou perda (1Co 3:15; 2Jo 8); de ficar envergonhado diante dEle “na sua vinda” (1Jo 2:28), e de queimar-se o trabalho de toda sua vida 1Co 3:13-15). Esse julgamento, não é para sua salvação, ou condenação. É um julgamento de obras.

• XII - A cerca da ressurreição e Vinda de Cristo.
• Acerca dos que já dormem ( 1Ts 4:13-17) - Esta expressão refere-se aos crentes que já tinham morrido e cujas almas estavam no céu; não significa que os mortos estejam inconscientes, como num tipo de sono da alma (Fp 1:21; 1Co 15:51,52).
• “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. 2Co 15:19
• “Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente, cedo venho.
Amém! Ora, vem, Senhor Jesus!” Ap 22:20 (Fonte: BEP; Manual de escatologia)

Pr Ilton Gonçalves - igrejaassembleia.org

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Líderes sassamutemas

Infelizmente tem líderes que pensam que todas as bênçãos de Deus para o povo tem que passar por eles ou pelas campanhas absurdas de 7 e 21dias, sal grosso, água benta, Arruda, prosperidade, arca, todas engenhadas e manipuladas por esse mandingueiros da fé alheia.
Infelizmente, tem líder que se julga a quarta pessoa da Trindade.
Tem líder que se acha verdadeiro "Sassamutema".
E, infelizmente, existem pessoas que acreditam piamente nisso, os seguem, os protegem e os alimenta.
Nós porém, continuaremos com a Bíblia Sagrada, nossa única regra de fé e prática.
Pr Ilton Gonçalves.

sábado, 15 de novembro de 2014

Carta aos pastores

 Reverendíssimo Senhor,

Amado pastor, obreiro da Igreja de Cristo, nos últimos tempos o povo evangélico quer viver no mundo, buscando as coisas do mundo.  As coisas relativas à eternidade passaram a ser um “mito” ou “fanatismo”, que aos poucos sofreram adaptações dos ensinos antibíblico transformando a fé verdadeira em Cristo (renuncia a si mesmo), para outro evangelho do tudo posso (pensamento positivo).
O foco da igreja mudou drasticamente, nos últimos cinqüenta anos, o seu perfil missionário sofreu uma das piores crises do cristianismo mundial, ou seja, a ausência de missionários, as denominações deixaram de ser como a igreja primitiva, missionária, e pobre, mais espiritualmente eleita por Cristo.
A igreja atual está morna espiritualmente e cada vez mais rica como instituição. A gestão da igreja, passa a ser a tarefa principal dos lideres evangélicos. O patrimônio da igreja passou a ser a principal preocupação dos nossos líderes. As denominações mais comprometidas com a verdade, pouco a pouco estão cedendo as influencias da Política Eclesiástica visando à manutenção do poder.
A Política Eclesiástica é semelhante à Monarquia – Forma de governo em que o poder é exercido por uma liderança vitalícia e geralmente hereditária da igreja pós-moderna.
A igreja pós-moderna, está abarrotada de obreiros, qualificados para ministrar nos cultos, ensinar na escola dominical, etc. O crente professo, porém religioso não é muito diferente da pessoa incrédula. Apesar de acreditar em Deus, ler a Bíblia, orar, cantar, e de freqüentar as reuniões, chama Jesus de Senhor, etc. Mas qual o seu problema? O mesmo do incrédulo. Tem o EU no centro. Vive para si mesmo. E Deus? Deus existe para abençoá-lo, curá-lo, servi-lo e salvá-lo. É um quebra-galho. Este está pior que o incrédulo porque está se enganando.

Então qual o problema da igreja atual?

A religiosidade faz com que o homem conhece acerca de Deus, mas vive da dependência da sua vontade (ainda não nasceu de novo). Cristo não está no centro da sua vida! Na verdade não tem nenhum compromisso verdadeiro com Deus! Não vive o sobrenatural.   
A maioria dos obreiros tem um comprometimento superficial com a Obra de Deus, não estão dispostos a ser missionários e viver para Cristo. A maioria está ocupada com seus afazeres terrenos, e começam a escusar-se do convite do Senhor. Todos julgam que vão ser desculpado, por não haver se comprometido com a obra de Deus. Mas esquecem de uma advertência do próprio Jesus: Porque eu vos digo que nenhum daqueles varões que foram convidados provará a minha ceia. (Lc 14.24)

A Igreja não é uma Organização comum e secular, onde a pessoa se agrega como sócio. Para muita gente, unir-se a uma igreja nada mais é que concordar com certas doutrinas e ser recebido na comunidade da mesma, e de vez em quando comparecer às reuniões, ostensivamente para adorar a Deus. Em tais reuniões predomina a atmosfera social, e não aquela que é essencial e espiritual.
A igreja pós-moderna é aquela que transige com o mundo e, em comportamento, se assemelha à sociedade ímpia ao seu redor; professa o cristianismo, mas, na realidade, é espiritualmente "desgraçada e miserável".

  • È dever de cada obreiro divulgar a palavra de Deus, de maneira que venha a causar uma reflexão à igreja, com relação ao seu destino, pois estamos vivendo o período de estagnação espiritual, declínio e apostasia da igreja pós-moderna, que antecede o arrebatamento da igreja.
  • As igrejas devem continuamente examinar seu estado espiritual diante de Deus e, se for o caso, corrigir seu erro de tolerância ao mundanismo e imoralidade entre os crentes.

Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta  essa obrigação; e ai de mim se não anunciar o evangelho!. 1 Co 9.16
Que possamos fomentar a sua Sã Doutrina, sem mercadejar o evangelho. Amém!

Obrigado! A Paz do Senhor Jesus Cristo.





Fonte: www.conhecadeus.com.br